segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O Fim do Campeonato Brasileiro Equilibrado...

Pode temer, você torcedor de qualquer outro time de futebol, que não seja o Corinthians.
O futebol brasileiro está desequilibrado, e ficará cada vez mais depois do título mundial corintiano.
Se na Espanha, Real Madrid e Barcelona mandam. A tendência é o País se dobrar ao Corinthians. O motivo é o dinheiro.



Não adianta o Santos ter Neymar. 0 São Paulo, o Morumbi. O Grêmio, sua torcida e a nova Arena. O Inter, o Beira-Rio. O Fluminense a Unimed e o Náutico os Aflitos.
O Corinthians deu uma guinada absurda. De clube sinônimo de bagunça virou exemplo de administração, e tem tudo para fazer do Brasil seu feudo.
O clube é o que mais ganha dinheiro no País. A receita de 2012 deverá ficar em R$ 330 milhões e vai aumentar e muito em 2013.
O que torna tudo injusto é que ganha bem a mais do que os outros times.
Da TV Globo recebe R$ 112 milhões. A soma é dos campeonatos estaduais e nacional. Vai continuar ganhando cada vez mais do que os rivais estaduais e nacionais. E sendo o mais mostrado na televisão.
É o clube de maior torcida no estado mais rico do Brasil O patrocínio da camisa vai render R$ 50 milhões no próximo ano. Ninguém terá tanto dinheiro.

Em 2013, o Itaquerão deverá estar terminado. É um estádio de mais de um bilhão de reais construído para a Copa, e que, depois do Mundial, ficará para o desfrute corintiano. Um presente não dos céus, Mas da conjunção Andrés Sanchez, Ricardo Teixeira, Lula e Blatter. Todos os interesses deste quarteto foram pelo mesmo caminho. Sorte do Corinthians.
Influência política pesa em um clube capaz de mobilizar milhões de pessoas. Por isso, o Corinthians fechou com a Caixa Econômica Federal. É o clube mais midiático do País, ocupa horário nobre em todos os canais de televisão, seu espaço é maior nas rádios, nos sites e nos jornais.

Com a conquista do Mundial há a certeza no departamento de marketing. A venda do nome do Itaquerão. Está amarrada acordo com a Globo. A emissora carioca receberá 10% do que o clube arrecadar com a transação. Em compensação assume que divulgará o nome do parceiro que batizar o estádio. Executivos garantem que vão doutrinar a população. E que, três ou quatro anos, todos irão se esquecer do Itaquerão.
O Mundial veio para ser mais um grande argumento, além da abertura da Copa. A Ambev está na frente. Mas há outros concorrentes, um banco e uma estatal. Por enquanto.


Depois da conquista de hoje no Japão, novos interessados devem surgir. A cúpula corintiana ficou entusiasmada com o bicampeonato mundial. O preço dos naming rights já foi de R$ 400 milhões por dez anos. Caiu diante da crise mundial para R$ 300 milhões. Mesmo assim, não houve interessados. A partir de hoje, voltou a subir. O Corinthians não fecha por menos de R$ 400 milhões. Mas o sonho dourado é fechar por meio bilhão de reais por dez anos. Ou um bilhão por vinte anos.

Tudo ganha ainda mais veracidade com as pesquisas. A última que fez barulho. A Datafolha publicou na semana passada. O Corinthians alcançou o Flamengo na preferência nacional. Os dois clubes têm 16% da torcida brasileira. O resultado de um instituto tão sério provocou taquicardia de alegria nos dirigentes. Era tudo que os corintianos precisavam para vender o clube como o de maior torcida do País.
Os produtos licenciados também já batem recorde. Assim como os sócios torcedores. A organização chegou a um ponto absurdo para os parâmetros brasileiros. Já foram vendidos 60 mil ingressos das três primeiras partidas no Pacaembu da Libertadores de 2013. Não há nem os adversários, mas a procura foi imediata. O dinheiro não para de entrar. Há quem aposte que em 2013, o Corinthians deve faturar mais de R$ 400 milhões. Por isso pode se arriscar a contratar jogadores importantes. Fechou com o meia Renato Augusto. E também está perto de concluir com o zagueiro Gil. Aventa de verdade a possibilidade de ter Alexandre Pato.

Para concorrer ficará cada vez mais difícil. É muito dinheiro, prestígio da mídia e, lógico, ligação com o poder. Não foi por acaso que o prefeito Kassab agiu. E forçou a Câmara Municipal a liberar os R$ 420 milhões de isenção fiscal no Itaquerão. O governador Geraldo Alckmin também colaborou com o estádio como pode. Político paulista que se preze não fica contra o Corinthians atual.
A conquista do Mundial deixou ainda mais tudo branco e preto. No processo de espanholização do futebol brasileiro, havia uma expectativa. Que Flamengo e Corinthians seriam o Real Madrid e o Barcelona. Só que a bagunça administrativa da Gávea implodiu esse sonho. O clube também não conseguiu seu estádio. Não tem nem Centro de Treinamento concluído, uma vergonha para sua popularidade no país. A dívida do Flamengo também é imensa.

O campo está aberto para o Corinthians reinar sozinho. As perspectivas são excepcionais. Inacreditável pensar que o clube estava na Segunda Divisão há quatro anos. A guinada foi forte demais. A conquista do bicampeonato Mundial terá efeitos significativos. O Corinthians tem tudo para ser um dos clubes mais poderosos do planeta. Dominar a América do Sul, o Brasil.
A revolução em branco e preto aconteceu nos olhos de todos. E ninguém se atentou. A alegria em vencer o Chelsea é pouco pelo que virá por aí. Com muito dinheiro, torcida, patrimônio, jogadores... TV Globo. E a providencial bênção do governo federal...
A fase mais poderosa da história do Corinthians só está começando. O bicampeonato mundial foi só o primeiro passo. E méritos precisam ser dados a quem arquitetou todo esse plano. O maquiavélico Andrés Sanchez...

Pois bem, torcedores rivais, ou não, do Corinthians, preparem-se para o pior.

FONTES: http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/com-apoio-da-globo-do-governo-federal-e-da-torcida-o-maquiavelico-plano-de-andres-sanchez-deu-certo-o-milionario-corinthians-tem-tudo-para-dominar-nao-so-o-brasil-mas-virar-um-dos-mais-ricos-clubes-16122012/

http://www.doistoques.net/colunistas/dois-toques-com-elcio-mendonca-o-apartheid-do-futebol-brasileiro/