quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Black Bloc (Black Block)

Viemos aqui para apresentar, para quem não conhece ainda, a estrategia anarquista de protesto chamado de Black Bloc, ou Black Block, dependendo de onde você estiver, que dá muito certo em países europeus, como Itália, Alemanha, Grécia, entre outros países de outros continentes como Canadá e Estados Unidos.



Black bloc é o nome dado a uma estratégia de manifestação e protestos anarquista, na qual grupos de afinidade, mascarados e vestidos de negro, se reúnem com objetivo de protestar em manifestações anti-globalização e/ou anti-capitalistas, conferências de representacionistas, protestos políticos, contra homofobia, entre outras ocasiões, utilizando a "propaganda pela ação" para questionar o sistema vigente.

Mas o que é propaganda pela ação?
Propaganda pelo Ato, também conhecida como Propaganda pela Ação ou ainda Propaganda pelo Feito (em inglês propaganda by the deed, em francês propagande par le fait) foi uma concepção estratégica anarquista muito popular entre os ilegalistas do final do século XIX, início do século XX. Consiste basicamente na realização de uma ação de grande visibilidade a fim de que esta se torne referência e inspiração para outras ações semelhantes e/ou complementares implementadas por outros grupos e indivíduos.
Ou seja, a pessoa faz algo que incentiva o outro a fazer.



As roupas e máscaras negras que dão nome à estratégia são usadas para dificultar ou mesmo impedir qualquer tipo de identificação pelas autoridades, também com a finalidade de parecer uma única massa imensa, promovendo solidariedade entre seus participantes e criando uma clara presença revolucionária.
Black blocs se diferenciam de outros grupos anti-capitalistas por rotineiramente se utilizarem da destruição da propriedade para trazer atenção para sua oposição contra corporações multinacionais e aos apoios e às vantagens recebidas dos governos ocidentais por essas companias. Um exemplo desta atividade é a destruição das fachadas de lojas e escritórios como McDonald's, Starbucks, Fidelity Investments, e outros locais relacionados às corporações no centro de Seattle, durante as manifestações contra a Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio de 1999.



Existe um entendimento, principalmente entre os noticiários das mídias comerciais de massa, que o "black bloc" é uma organização internacional de algum tipo. No entanto, não mais que uma tática utilizada por grupos de manifestantes sem muitas conexões.
Existem vários grupos black bloc dentro de uma única manifestação, com diferentes formas e táticas.

Os black bloc têm sofrido diversas pressões da polícia e do Estado para ser desmobilizados, infiltrações de agentes do Estado e que por vezes colocam uma máscara para desmobilizar a ação dos coletivos, isso acaba por gerar um Black bloc mais organizado taticamente no que concerne combater e reconhecer estes agentes.



Os Grupos que usam da estrategia do Black Block já foram vitimas de preconceitos por jornalistas, aqui no Brasil pela revista Veja, sendo chamados de rebeldes sem causas, por conter pessoas de todas as classes econômicas e até o filho do milionário guitarrista do Pink Floyd, e onde essa forma de protesto já foi utilizada em vários tipos de manifestações. Essa diversidade foi a vitima de preconceito.

No Brasil já chegou a ter algo parecido, em Recife, mas o movimento perdeu a força, depois de forte repressão policial.



Há quem ache violenta a atitude dessas manifestações, há também os resultados esperados pelos protestos que ocorreram.